Como um sistema de gestão fiscal otimiza processos de auditoria?

O gerenciamento financeiro é um processo fundamental para estabilidade e aumento de receita em qualquer organização. Por isso, a principal razão para utilizar um sistema de gestão fiscal é garantir a estabilidade financeira a longo prazo do negócio.

Os sistemas de gerenciamento financeiro ajudam a acompanhar os detalhes fiscais em todos os tipos de empresas, independentemente do seu tamanho, principalmente durante os processos de auditoria fiscal. Com isso, é possível monitorar de perto seus ativos, despesas e receitas para maximizar lucros e garantir que haja operações legais e sustentáveis.

Por isso, nesse artigo, você entenderá a importância da auditoria fiscal e como os sistemas de gestão financeira podem manter sua empresa operando em conformidade com as normas e boas práticas contábeis. Vamos lá?

A importância da auditoria fiscal

O principal objetivo de uma auditoria fiscal é avaliar a saúde financeira de um negócio. Os auditores internos procuram gastos não autorizados, despesas incorretas e outros erros contábeis.

Uma empresa pode realizar sua própria auditoria interna antes de uma externa. A gerência pode usar a auditoria interna para avaliar os resultados com o intuito de melhorar os procedimentos de treinamento ou segurança — se houver despesas substanciais não autorizadas ou inexplicáveis.

Quanto à auditoria externa, a receita, lucro e dívidas são avaliados. Os auditores também calculam a quantidade de capital disponível para operações de negócios. Os credores em potencial podem realizar uma auditoria externa dos livros contábeis antes de emprestar dinheiro à empresa, por exemplo.

Além disso, é possível auditar se o valor de tributos foi pago corretamente. Órgãos públicos podem obter um mandado que autorize uma auditoria se suspeitarem de fraude, como uma empresa que tenha apresentado falsas alegações junto à Receita Federal.

As principais funcionalidades de um sistema de gestão fiscal

Existem várias funcionalidades que os sistemas modernos de gestão fiscal devem cumprir. O primeiro deles é a contabilidade. Com eles, é possível acompanhar os registros de todas as atividades financeiras diárias de uma empresa, como vendas e despesas, bem como a emissão de notas fiscais de entrada e saída.

O sistema compila as informações e prepara relatórios, como balanços e demonstrações de lucros e perdas. Além disso, é possível fazer uma correta gestão de documentos, auxiliando no processo de armazenar, consultar e analisar os registros financeiros com facilidade.

Este sistema também ajuda quando se trata de orçamentos. Com o sistema, é possível tomar decisões acertadas ao solicitar orçamentos para qualquer matéria-prima ou serviço para o negócio, uma vez que oferece todas as informações financeiras que talvez sejam necessárias, como os ganhos atuais e os retornos esperados no futuro.

O sistema também ajuda a monitorar o fluxo de caixa do negócio. Você acompanha o dinheiro que tem, os recebíveis e o necessário para administrar o negócio. Isso garante que você é capaz de atender às despesas diárias, bem como às outras despesas do negócio, como pagar aluguel ou sua equipe, e ter capital pronto para o crescimento.

Ele melhora, ainda, as atividades de auditoria tanto em quantidade como em qualidade. Essas soluções tecnológicas melhoram a segurança dos dados da empresa e outras informações que poderiam ser usadas contra ela.

Dessa forma, o uso da tecnologia na gestão financeira ajuda a melhorar a eficiência, o desempenho e a eficácia das empresas. É importante observar também que o sistema de gestão fiscal mudou o papel de um auditor financeiro. Com isso, ele pode analisar o sistema de forma eficaz e rápida, ajudando a apontar as áreas que a empresa precisa melhorar.

Curtiu nosso artigo sobre a importância do sistema de gestão fiscal para a auditoria de uma empresa? Quer ficar por dentro de mais conteúdos como este? Assine nossa newsletter!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *