Aprenda a separar as finanças pessoais das finanças da empresa

Separar as finanças pessoais das finanças da empresa não é uma tarefa fácil. Por outro lado, esse é um cuidado imprescindível, sobretudo para os pequenos e os microempresários que desejam ver o seu negócio prosperar em um mercado tão competitivo como o de hoje.

Somente com uma gestão equilibrada e individualizada das contas é possível saber, por exemplo, qual é o fluxo de caixa, qual o seu lucro real, os resultados dos investimentos e, até mesmo, fazer projeções para o futuro.

Vale lembrar que o motivo de falência de muitos empresários é exatamente a falta de controle em relação às suas despesas pessoais. Isso porque, ao misturarem tudo, acabam retirando da companhia muito mais do que poderiam.

Quer saber, de uma vez por todas, como separar as finanças pessoais das finanças da empresa? Então, siga a leitura do post e aprenda a controlar os seus gastos!

Realize um diagnóstico financeiro

Para uma melhor organização das finanças, é fundamental um levantamento das suas despesas pessoais e do lucro real da empresa, levando em consideração o faturamento do negócio e os gastos fixos para mantê-lo.

Sendo assim, faça duas tabelas e leve em conta desde as compras no mercado até os honorários do contador de sua empresa.

Mantenha contas bancárias distintas

Contas correntes separadas, uma para a empresa e outra para você, ajudam a garantir uma boa organização financeira. Por meio dessa prática, você conseguirá controlar os gastos realizados, pagamentos recebidos lançamentos nos extratos etc. E tudo isso sem confundir o seu recurso com o da companhia.

Infelizmente, ainda há empresários que utilizam cheque ou cartão da empresa para pagar contas pessoais. Esse é outro erro e, certamente, levará à desorganização, aumentando as chances de um prejuízo no futuro.

Lembre-se sempre de que ter a clareza sobre as finanças do seu negócio é a única maneira de saber se ele é lucrativo ou não.

Defina suas retiradas mensais

Tenha em mente de que o lucro da empresa não significa o lucro do empresário. Isso porque esse recurso financeiro pode ter diversas finalidades, como capital de giro, investimentos, pagamento dos funcionários, entre outros.

Por isso, é importante definir uma retirada mensal, também chamada de pró-labore. Ela deve ser justa e condizente com a realidade do seu empreendimento. Isso significa que, de forma alguma, seu salário poderá comprometer a saúde financeira da empresa.

Tenha uma reserva mensal

Todo empreendedor experiente sabe que um negócio não pode contar apenas com seu faturamento mensal. Uma reserva financeira garante a sobrevivência da empresa em caso de imprevistos ou instabilidades do mercado.

O mesmo vale para as finanças pessoais. Quando o negócio vai mal, nada melhor do que contar com uma poupança.

Use softwares de gestão empresarial

Para registrar com exatidão todo o fluxo de caixa da empresa e, assim, saber o seu lucro e quanto poderá retirar mensalmente para seus gastos pessoais, o melhor é contar com um sistema de gestão empresarial.

Com ele, tudo fica registrado, até mesmo aqueles gastos que parecem inexpressivos, mas que, de forma alguma, devem ficar de fora da contabilidade.

Enfim, esse tipo de software, além de automatizar diversos processos, possibilita que o empresário controle o fluxo de caixa do negócio e tenha uma análise financeira precisa, o que diminui as chances de erros e prejuízos. Seguindo essas dicas, você conseguirá separar as finanças pessoais das finanças da empresa e, assim, garantir o seu futuro e o do seu negócio.

Quer saber mais sobre como manter seu empreendimento organizado e em dia com suas obrigações fiscais? Então, aprenda qual é a melhor forma de emitir nota fiscal eletrônica!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *